Esta página utiliza cookies. Durante a navegação na nossa página, aceita que utilizemos cookies.

Saiba mais sobre cookies
Fechar
Fechar
Fechar
WTCC 2016 vitoria em Paul Ricard

UMA VITÓRIA DE PESO PARA A CITROËN

Na jornada de abertura do FIA WTCC 2016, a equipa Citroën Total provou porque continua a ser a referência da disciplina. Apesar dos 80 kg de lastro imposto aos Citroën C-Elysée WTCC, José María López venceu a corrida principal, saindo do Circuito de Paul Ricard na liderança do Campeonato do Mundo

Apesar das nuvens negras amontoadas no céu da Provença, o tempo estava seco quando as viaturas deixaram as boxes para a Corrida de Abertura. Em virtude da grelha de partida invertida, Yvan Muller e José María López saiam do 8º e 10º lugares, respectivamente.

Os pilotos da Citroën Total tinham por estratégia preservar os seus Citroën C-Elysée WTCC para a corrida principal, pelo que se mantiveram longe das fricções da primeira volta, ocupando a 8ª e 11ª posições. Mas depressa Yvan seria obrigado a cumprir um drive through pelas boxes por falsa partida. Uma vez cumprida essa penalização, o alsaciano retomou a corrida na cauda do pelotão.

Após ter ultrapassado Tarquini, José María López assumiu o 9º lugar, ganhando depois três posições em apenas algumas centenas de metros, aproveitando a confusão semeada pelo tête de Fredrik Ekblom, passando primeiro Tom Coronel e depois Nick Catsburg.

Uma vez na 6ª posição, o argentino aproximou-se de Hugo Valente nas últimas voltas, mas não foi capaz de encontrar uma abertura sem forçar o contacto. Graças ao 2º lugar de Mehdi Bennani, autor de uma prova formidável ao volante do Citroën C-Elysée WTCC da equipa Sébastien Loeb Racing, a Citroën marcou preciosos pontos para o Campeoanto do Mundo de Construtores.

No final da tarde, a Corrida Principal iria animar o encontro no Circuito de Paul Ricard. A largada dos Citroën C-Elysée WTCC oficiais foi perfeita, com José María López a curvar na frente de Yvan Muller. Desde cedo, o argentino forçou o ritmo para conseguir uma vantagem confortável. Pelo contrário, Muller não conseguiu desembaraçar-se de Tiago Monteiro, resistindo-lhe durante sete voltas, antes de ser posto fora da pista pelo seu rival na Curva da Ponte. Norbert Michelisz aproveitou também para o passar e o Citroën caiu para o 4º lugar.

As derradeiras voltas viram Monteiro aproximar-se de López, mas, apesar de ter os seus pneus no limite – uma das múltiplas consequências dos 80 kg de lastro – o duplo Campeão do Mundo em título resistiu até à bandeira de xadrez, conquistando aquela que foi a sua 22ª vitória no FIA WTCC. Adicionalmente, José María López instalou-se no comando do Campeonato do Mundo, com quatro pontos de vantagem para Monteiro. Nos Construtores, a Citroën realizou uma boa operação, tendo em conta um regulamento desfavorável, com a equipa a ficar a apenas um ponto da lderança do campeonato.

A próxima jornada desenrolar-se-á dentro de duas semanas no Slovakia Ring (de 15 a 17 de abril).

O QUE ELES DISSERAM…

Yves Matton (Director da Citroën Racing): «Apesar de um regulamento feito para penalizar o construtor Campeão do Mundo em título, provámos que o Citroën C-Elysée WTCC continua a ser o melhor carro da disciplina. Não dou muita importancia ao resultado da Corrida de Abertura, sendo demasiado artificial para refletir a verdadeira hierarquia. Pelo contrário, a exibição do Pechito López na corrida principal veio recompensar os esforços feitos pela equipa durante o Inverno. É uma enorme satisfação estar na frente do Campeonato do Mundo de Pilotos e teríamos também conseguido chegar à frente no de Construtores com um pouco mais de sorte. Iremos viver mais um fim de semana difícil na Eslováquia, mas depois poderemos finalmente evoluir com armas iguais às dos nossos adversários.»

José María López: «Corri alguns riscos na partida da Corrida Principal e fiquei satisfeito por ver que estava na frente, diante do Yvan. A diferença de peso para as outras viaturas era, de facto, demasiado importante e foi isso que permitiu ao Tiago Monteiro pasar o Yvan e aproximar-se de mim. As últimas voltas foram intensas, os meus pneus estavam nos limites e não foi fácil permanecer na frente. Procurei pasar depressa em Signes, para ganhar um pouco de espaço e colocar-me ao abrigo de surpresas. Uma vez mais, um grande aplauso para a Citroën! Sabíamos que seria difícil, mas saímos daqui de cabeça erguida e na frente do Campeonato do Mundo!»

Yvan Muller: «Uma vez mais, a minha temporada não começou da melhor forma, apesar de uma qualificação prometedora. Na primeira corrida cometi um erro na partida e o castigo foi lógico. A partir daí, foi impossível marcar pontos. Pelo contrário, a minha partida na Corrida Principal foi muito boa, mas era-me impossível conter os Honda, mais leves 80 kg. O Tiago Monteiro tentou uma travagem um pouco ousada, tocou-me e perdi dois lugares. Foiu uma pena e estou realmente decepcionado por ter terminado apenas no 4º lugar.»

CLASSIFICAÇÃO – CORRIDA DE ABERTURA

1º      Rob Huff (Honda Civic WTCC)
2º    Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)
3º      Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)
4º      Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC)
5º      Hugo Valente (Lada Vesta WTCC)
6º    José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

10º  Grégoire Demoustier (Citroën C-Elysée WTCC)
11º  Tom Chilton (Citroën C-Elysée WTCC)

13º  Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)

VMR: Rob Huff, 1m30,455s

CLASSIFICAÇÃO – CORRIDA PRINCIPAL

1º     José María López (Citroën C-Elysée WTCC)
2º     Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC)
3º     Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)
4º     Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)
5º     Nick Catsburg (Lada Vesta WTCC)

8º    Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)
9º    Tom Chilton (Citroën C-Elysée WTCC)

13º  Grégoire Demoustier (Citroën C-Elysée WTCC)

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

1º      José María López 38 pontos
2º      Tiago Monteiro        34
3º      Rob Huff                33
4º      Norbert Michelisz     30
5º      Mehdi Bennani    22

7º    Yvan Muller        15

11º  Tom Chilton       4
12º  Grégoire Demoustier      1

CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES

1º      Honda                   84 pontos
2º      Citroën             83
3º      Lada                      40
4º      Polestar Volvo          14

Top