Esta página utiliza cookies. Durante a navegação na nossa página, aceita que utilizemos cookies.

Saiba mais sobre cookies
Fechar
Fechar
Fechar
UMA DOBRADINHA CITROËN NA HUNGRIA

UMA DOBRADINHA CITROËN NA HUNGRIA

HUNGARORING (01-03/05/2015) – FINAL

  • Apesar da adversidade constituída pela entrada em vigor dos pesos de compensação, os Citroën C-Elysée WTCC assinaram uma dobradinha no Hungaroring. 
  • Na corrida 1, José María Lopez conquistou a 14ª vitória da sua carreira no FIA WTCC na frente de Yvan Muller.
  • José María López, Sébastien Loeb e Yvan Muller continuam a ocupar as três primeiras posições no Campeonato do Mundo de Pilotos, enquanto a Citroën aumentou a sua vantagem entre os Construtores.

Pouco antes da formação da grelha de partida, algumas gotas de chuva molhavam o asfalto do Hungaroring. Apesar disso, todos os pilotos optaram por manter pneus slicks, acreditando que as corridas se iriam realizar com a pista seca. No arranque, José María López saltou desde a segunda linha da grelha e, após ter levado a melhor sobre Hugo Valente, atacou e saiu da primeira curva na frente de Yvan Muller! Mais atrás, Sébastien Loeb e Ma Qing Hua tocavam-se, permitindo a Valente colocar-se no 3º lugar. Com um pára-choques danificado e a aerodinâmica degradada, Sébastien Loeb caiu para 6º, atrás de Ma Qing Hua e de Tiago Monteiro.

Após algumas voltas, a diferença entre Pechito e Muller aumentou sensivelmente e o argentino voava, assim, até à sua terceira vitória da temporada. Numa pista famosa pela sua falta de locais para ultrapassagens, a hierarquia manteve-se inalterada até à chegada. Ma Qing Hua e Sébastien Loeb terminaram, respectivamente, em 4º e no 6º lugares.

Para a segunda corrida, o melhor piloto Citroën na grelha era Ma Qing Hua, mas quando os semáforos se apagaram, foi Sébastien Loeb quem levou a melhor no clã dos C-Elysée. A primeira curva foi marcada por um tête de Rob Huff, que provocou um toque entre Muller e Ma. López, que não tinha tomado a melhor opção ao escolher a parte exterior da pista, aproveitou para se colocar na esteira de Loeb.

A classificação no final da primeira volta era idêntica à da chegada: Michelisz, Coronel, Chilton, Monteiro, Loeb, López, Muller, Valente e Ma. Mesmo se nenhum Citroën terminou no pódio – pela primeira vez esta temporada – o balanço foi excelente, tanto para a classificação de Pilotos, como na dos Construtores.

O QUE ELES DISSERAM…

Yves Matton (Director da Citroën Racing): «Sabíamos que este fim-de-semana iria ser difícil, com um handicap de 60 kg de lastro, na pista mais sinuosa da temporada. Apesar disso, saímos de lá com uma pole position e uma dobradinha suplementares. Esta primeira etapa europeia confirmou a enorme popularidade do Campeonato FIA WTCC na Europa central. Estamos satisfeitos pelo fim-de-semana, mas já estamos concentrados na próxima jornada, no Nürburgring. Ir ser, sem dúvida, um marco histórico para o Campeonato do Mundo.»

José María López: «Na primeira corrida, penso ter feito o meu melhor arranque desde que vim para o WTCC! Estou muito feliz por esta vitória, principalmente após umas qualificações que não foram perfeitas. Nas contas do campeonato, esta terceira jornada permitiu-me aumentar em alguns pontos o meu avanço sobre o Seb. Por isso, foi totalmente positivo.»

Yvan Muller: «Teria preferido vencer, mas a minha partida foi menos boa que a do Pechito. Após a primeira curva, a corrida estava perdida para mim. Ainda lutei durante as três ou quatro primeiras voltas, mas depois baixei um pouco os braços, para não correr riscos inúteis. É bem melhor ser 2º do que 3º!»

Sébastien Loeb: «Na partida para a primeira corrida, tive uma boa saída, antes de cometer um erro. Na recta, o Ma tentou passar-me e tocámo-nos. O meu difusor ficou danificado e fiquei sem possibilidade de o ultrapassar. A minha segunda corrida foi bem melhor. Fi-la toda atrás do Tiago Monteiro, mas pelo menos não cometi nenhum erro…»

Ma Qing Hua: «Na partida da primeira corrida, tentei a trajectória exterior, mas o Sébastien tocou-me e isso fez-me perder vários lugares. Depois disso, passei a ter que lutar com um carro bem difícil de conduzir. Para a segunda corrida, tentei a opção interior. Mas, desta vez, foi o Yvan que me tocou na traseira do carro, ao mesmo tempo que o Huff entrou em tête. O carro ficou completamente desafinado e tive sorte em ter conseguido acabar dentro dos dez primeiros.»

CLASSIFICAÇÃO CORRIDA 1

  1. José María López (Citroën C-Elysée WTCC)
  2. Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)
  3. Hugo Valente (Chevrolet Cruze RML TC1)
  4. Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)
  5. Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC)
  6. Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
  7. Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

        Melhor Volta: José María López en 1’50’’783

CLASSIFICAÇÃO CORRIDA 2

  1. Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)
  2. Tom Coronel (Chevrolet RML Cruze TC1)
  3. Tom Chilton (Chevrolet RML Cruze TC1)
  4. Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC)
  5. Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
  6. José María López (Citroën C-Elysée WTCC)
  7. Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)
  8. Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)
    MT : Gabriele Tarquini (Honda Civic WTCC) en 1’50’’356

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

  1. José María López 129 pts
  2. Sébastien Loeb 96 pts
  3. Yvan Muller 86 pts
  4. Tiago Monteiro 58 pts
  5. Ma Qing Hua 53 pts
  6. Mehdi Bennani 26 pts

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES

  1. Citroën 269 pts
  2. Honda 189 pts
  3. Lada 45 pts
Top