Esta página utiliza cookies. Durante a navegação na nossa página, aceita que utilizemos cookies.

Saiba mais sobre cookies
Fechar
Fechar
Fechar
WTCC 2016 Nurburgring

OS CITROËN C-ELYSÉE WTCC AO ASSALTO DO NÜRBURGRING E DO NORDSCHLEIFE

Para a quinta jornada do Campeonato do Mundo FIA WTCC, José María López e Yvan Muller tem encontro marcado com um monumento: o «grande» circuito de Nürburgring. Vencedores em 2015, os pilotos da equipa Citroën Total vão querer reeditar esse seu sucesso no Nordschleife.

Desde que passou a integrar o calendário do FIA WTCC, o Nürburgring impôs-se como o encontro mais prestigiante da temporada. É preciso dizer que o traçado que combina a pista do GP de Fórtmula 1 e o Nordschleife reúne todos os superlativos, com um perímetro de 25,378 km e 64 curvas oficialmente registadas. Com cada volta a realizar em menos de 9 minutos – dos quais 68% em plena aceleração – cada uma é ritmada por 79 mudanças de caixa. Com mais de 260 km/h, a velocidade de ponta é a mais importante da temporada, bem como a média recorde estabelecida no ano passado por Pechito Lopez nas qualificações: 176,6 km/h.

«Para que conste, a grande linha reta do Nürburgring representa o perímetro do circuito de Marrakech, onde corremos há duas semanas», sublinha Yvan Muller. «Geralmente, dizem que é preciso ter feito uma centena de voltas para conhecer verdadeiramente o Nordschleife. Mesmo assim, não fico totalmente convencido de que se consiga memorizar completamente uma pista assim! É preciso encontrar um bom equilíbrio entre a tomada de riscos e o tempo que podemos ganhar. É preciso, nomeadamente, concentrarmo-nos nas grandes curvas que precedem as longas retas. Se levantarmos ligeiramente o pé quando é preciso passar a fundo, o que se perde pode cifrar-se em vários segundos.»

«Este circuito é fantástico, para mim é a corrida mais importante do ano, com a minha prova caseira, na Argentina», refere por sua vez José María López. «Não tenho grande experiênca com carros de ralis, mas penso que são um pouco as mesmas sensações. Somos atirados de um lado para o outro, o carro salta… e, no entanto, estamos bem no meio de uma pista, a que chamam de ‘Inferno Verde’! Cada volta dura mais de oito minutos e não há nenhum sítio onde possamos relaxar. Pessoalmente, aprecio um pouco mais a última secção. Nos últimos quilómetros, as curvas encadeiam-se com fluidez e sabemos então se estamos prestes a fazer uma boa volta. Durante os treinos livres e as qualificações, a última reta permite fazer baixar a tensão. Isso é nitidamente menos verdade em corrida, pois o fenómeno de aspiração oferece inúmeras oportunidades de ultrapassagem.»

No ano passado, Pechito pilotou mais à vista. Autor da pole position, com uma volta em 8’37,327”, o piloto do Citroën C-Elysée nº 37 impôs-se na primeira corrida, antes de terminar a seguinte no 2º lugar, a meros centímetros do seu colega de equipa, Yvan Muller.

«Esta vitória deixou-me surpreendido, pois nunca tive a sensação de ter conseguido boas marcas antes, no circuito», reconhece Muller. «A minha experiênca foi-se reforçando ao longo das voltas e é agora um prazer voltar a pilotar no Nordschleife. Voltei aí há algumas semanas para um dia de rodagem, que me permitiu reencontrar o ritmo. Isso é importante, pois a maior margem de progressão encontra-se na condução.»

«É um pouco como num circuito de cidade, a confiança constrói-se progressivamente», confirma López. «Pela minha parte, trabalhei muito no simulador da Citroën Racing, com um dia completo que me permitiu fazer 30 voltas. Mesmo tendo nós uma boa base no ano passado, os engenheiros continuaram a trabalhar para melhorar as afinações. Uma vez mais, vamos levar o lastro máximo de 80 quilos. Como há poucas curvas lentas, este peso a mais será menos penalizador do que antes, mas é preciso, ainda assim, jogar com a inércia nas grandes curvas.»

A Citroën aborda a quinta jornada da temporada na liderança do Campeonato do Mundo de Construtores, com 39 pontos de avanço sobre o segundo classificado. Entre os Pilotos, José María López está igualmente na frente, tendo o argentino 14 pontos de avanço sobre seu mais direto adversário, enquanto Yvan Muller está em 6º.

Por causa do caráter excecional da pista, o formato do fim-de-semana é sensivelmente diferente do habitual. As três sessões de treinos livres vêem a sua duração aumentada para uma hora, mas sem reabastecimentos de combustível. O sistema de qualificações em três tempos é igualmente substituído por uma sessão única de uma hora, com a atribuição de pontos de bónus aos cinco primeiros. As duas corridas, disputadas de manhã de sábado, antes da partida para as 24 Horas do Nürburgring, efetuar-se-ão em três voltas.

HORÁRIOS PARA NÜRBURGRING

QUINTA-FEIRA, 26 MAIO 2016
11h30: Treinos privados (60’)
18h45: Treinos livres 1 (60’)

SEXTA-FEIRA, 27 MAIO 2016
08h15: Treinos livres 2 (60’)
12h45: Qualificações (60’)
14h10: MAC3 (1 volta)

SÁBADO, 28 MAIO 2016
11h20: Corrida de abertura (3 voltas)
12h45: Corrida principal (3 voltas)


Top