Esta página utiliza cookies. Durante a navegação na nossa página, aceita que utilizemos cookies.

Saiba mais sobre cookies
Fechar
Fechar
Fechar
WTCC Final 2015

LÓPEZ E MULLER TERMINAM EM BELEZA

  • Alcançando a sua 7ª pole-position e, depois, a sua 10ª vitória da temporada, José María López terminou de modo perfeito o Campeonato do Mundo FIA WTCC 2015, que conquistou pela segunda vez*.
  • Vencendo a última corrida do ano, Yvan Muller alcançou a 2ª posição no Mundial de Pilotos, batendo Sébastien Loeb por apenas um ponto.
  • Subindo ao pódio na Corrida 2, Ma Qing Hua permitiu que a Citroën alcançasse uma histórica quádrupla ao Campeonato do Mundo. A Marca alcançou, ainda, um novo recorde de pontos numa só temporada.
  • A Citroen Racing prestou uma vibrante homenagem a Sébastien Loeb após 15 anos de colaboração

O sol já desaparecia no horizonte quando se iniciou a última sessão de Qualificação, num final de tarde de 6ª Feira. Confirmando o nível de desempenho exibido no dia anterior nos Treinos Livres, o Citroën C-Elysée WTCC ultrapassava sem dificuldade a Q1. Pouco satisfeito com o comportamento da sua viatura, Yvan Muller não procurava chegar à Q3. Com o 8º melhor tempo, mesmo à frente de Ma Qing Hua, o piloto francês assegurava uma boa posição na grelha de partida para a Corrida 2.

Primeiro a sair para a Q3, Mehdi Bennani fez uma excelente volta em 2m01,311s. Logo atrás, Sébastien Loeb, Nick Catsburg e Hugo Valente ferravam os dentes, não logrando bater o piloto da Sébastien Loeb Racing. Último piloto a entrar em pista, José María López mostrou-se novamente imperial. Com 2m00,947s, o argentino alcançou a sua 7ª pole-position da temporada, igualando o seu recorde de 2014.

Cerca das 21h30, já bem noite dentro, os carros começaram a volta de formação da grelha de partida. Apagado o semáforo, José María López manteve a vantagem, levando no seu encalço Mehdi Bennani, Sébastien Loeb, Hugo Valente, Ma Qing Hua e Yvan Muller.

Valente batia Loeb na segunda volta, numa luta que se manteve acesa ao longo de toda a corrida, tal como entre Hua e Muller, mas não viria a haver qualquer ultrapassagem nesta primeira corrida, que, no final, consagrava Pechito Lopez pela 10ª vez na presente temporada.

Após uma pequena pausa, formou-se a grelha de partida para a Corrida 2. Qualificado na primeira linha, Tom Coronel partia das boxes, oferecendo espaço extra a Ma Qing Hua. Seria, portanto Yvan Muller, a aproveitar a situação, seguindo no segundo lugar atrás de John Filippi. O safety car entrou na pista no final da primeira volta, após um acidente ter eliminado dois carros. Atingido por outro concorrente nas primeiras voltas, José María López ocupava o 12º lugar.

A corrida recomeçava após quatro voltas, com Müller logo a ameaçar o líder. Após uma volta completa, o piloto do Citroën C-Elysée WTCC n° 68 tentava aproveitar uma aberta mas Filippi defendeu-se e os dois carros tocaram-se. Müller surgiu à frente na primeira curva, alguns segundos antes do seu adversário ser penalizado com um drive through por ter queimado a partida.

Volta após volta, Muller cavava o fosso para Hua, que estava sólido no 2º lugar. O interesse incidia, assim, na luta para a 3ª posição. Norbert Michelisz resistia Sébastien Loeb, piloto que tinha que terminar no pódio para alcançar o lugar de Vice-Campeão do Mundo! Mas as suas posições não mudariam até à bandeirada e Muller ganhava pela sexta vez este ano. No meio do pelotão a animação foi assegurada López, autor de algumas belas ultrapassagens até ao 8º posto.

À chegada, Sébastien Loeb era esperado por todos os elementos da equipa Citroen Racing, fazendo transparecer o seu afeto e gratidão na forma de uma longa ovação.

O QUE ELES DISSERAM…

Yves Matton (Director da Citroën Racing): «Com 21 vitórias em 24 corridas, o título de Campeão do Mundo de Construtores e uma quádrupla no Campeonato de Pilotos, a temporada da equipa Citroën Total WTCC foi excepcional. Impondo-se de novo com os títulos já entregues, José María López e Yvan Muller recordaram porque são os melhores pilotos da actualidade na disciplina. A equipa tinha um aperto no coração por perceber que esta era a última corrida de Sébastien Loeb connosco. Hoje fechou-se um grande capítulo da história do desporto motorizado. Nós partilharemos muitas boas recordações com o Sébastien.»

José María López: «Foi um fim-de-semana fantástico. O carro esteve perfeito desde as primeiras voltas e nunca deixei de trabalhar para ir cada vez mais rápido. O comportamento do meu Citroen C-Elysée WTCC foi perfeito, tendo apenas que mantê-lo em pista... É o final de ano perfeito, com uma vitória, mas estou um pouco triste pelo final da temporada e por precisar de esperar tanto tempo antes da próxima! Gostaria de agradecer, mais uma vez, todo este trabalho feito ao longo de dois anos, e também desejar o melhor para o Sébastian para o resto da sua carreira. Foi uma honra estar na mesma equipa que ele e sei que vou sentir a sua falta.»

Yvan Muller: «Tinha como objetivo ganhar uma das duas últimas corridas e estou feliz por tê-lo alcançado. Os meus engenheiros e os meus mecânicos tiveram dois dias difíceis, porque não estava satisfeito com o set-up do carro. Mas depois de um duro trabalho, conseguimos fazer progressos para alcançar um bom nível de performance em corrida. Fui ainda mais rápido do que na Qualificação! Tal como o Pechito, quero agradecer a toda a equipa, mas também aos meus companheiros. Conseguimos alcançar este nível porque éramos quatro pilotos a trabalhar lado a lado. Agradeço-lhes e especialmente ao Séb, a quem desejo o melhor para o futuro.»

Ma Qing Hua: «Quero agradecer à equipa Citroën Total por me dar a oportunidade de fazer a minha primeira temporada completa no FIA WTCC. Contei com três pilotos de altíssimo nível e foi uma honra aprender com eles. Graças aos pontos marcados hoje, mantive o meu 4º lugar no Campeonato do Mundo e orgulho-me de complementar o resultado de conjunto da Citroën.»

Sébastien Loeb: «Queria manter o 2º lugar no Campeonato do Mundo, mas sabia que seria difícil e que o Yvan iria atacar muito forte para recuperar a vantagem. Mesmo que tenha sido por um ponto de diferença, não me arrependo. Acho que foi um bom dia, tanto na qualificação como nas corridas. De resto, vou manter boas recordações da minha passagem nesta disciplina. Agradeço à Citroen, por isso e por tudo o que fizemos ao longo de 15 anos. Foi uma emoção enorme estar hoje com a equipa pela última vez, mas estou ansioso pelo futuro e pelos meus próximos desafios, que vão ser apaixonantes. Há ainda algumas coisas a fazer antes de fechar o processo.»

RESULTADOS

QUALIFICAÇÕES

1.      José María López (Citroën C-Elysée WTCC)
2.      Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)
3.      Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
4.         Hugo Valente (Chevrolet RML Cruze TC1)
5.         Nick Castburg (Lada Vesta WTCC)
6.         Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)
7.      Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)
8.      Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)

CORRIDA 1

1. José María López (Citroën C-Elysée WTCC)
2. Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)
3. Hugo Valente (Chevrolet RML Cruze TC1)
4. Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
5. Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)
6. Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)

VMR: José María López em 2’01’’628

CORRIDA 2

1. Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)
2. Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)
3. Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)
4. Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
5. Meh
di Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)
8. José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

VMR: Yvan Muller em 2’02’’450

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

1.      José María López 475 pts
2.      Yvan Muller 357 pts
3.      Sébastien Loeb 356 pts
4.      Ma Qing Hua 241 pts

5.         Gabriele Tarquini 197 pts (…)
8.      Mehdi Bennani 127 pts (…)

CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES

1.      Citroën 1069 pts
2.         Honda 721 pts
3.         Lada 376 pts

* Sujeito à publicação oficial dos resultados pela FIA.

Top