Esta página utiliza cookies. Durante a navegação na nossa página, aceita que utilizemos cookies.

Saiba mais sobre cookies
Fechar
Fechar
Fechar
LÓPEZ E MA, OS VERDADEIROS REIS DE VILA REAL

LÓPEZ E MA, OS VERDADEIROS REIS DE VILA REAL

CIRCUITO DE VILA REAL (10-12/07/2015) - FINAL

  • A temporada europeia do WTCC encerrou com mais um triunfo da equipa Citroën Total, que conquistou duas dobradinhas nas ruas de Vila Real.
  • Na primeira corrida, José María López e Sébastien Loeb converteram as suas performances das qualificações numa incontestável dobradinha.
  • Marcada por várias peripécias, a Corrida 2 sorriu a Ma Qing Hua. O chinês conquistou a sua segunda vitória no WTCC na frente de Yvan Muller.
  • Os quatro pilotos da Citroën lideram o Campeonato do Mundo com José María López (322 pts), na frente de Yvan Muller (267), Sébastien Loeb (230) e Ma Qing Hua (146).

A partida para a primeira corrida foi dada ao final da manhã, quando o calor tinha já invadido as ruas da cidade portuguesa. Para José María López e Sébastien Loeb, a principal preocupação dizia respeito à aderência do alcatrão da grelha de partida, pois esta parte do asfalto não era utilizada no traçado habitual do circuito.

Quando os semáforos se apagaram, Pechito levou a melhor sobre Seb e os dois Citroën C-Elysée WTCC curvaram na frente do resto do pelotão. Terceiro na grelha, Valente falhou a partida e apertou Yvan Muller, que tentava infiltrar-se pelo interior. Ma Qing Hua aproveitou para passar Van Lagen e Catsburg e ficar ao nível de Valente… que de seguida acabou por lhe acertar! Valente abandonou um pouco mais à frente e Ma Qing Hua encontrou-se na sexta posição, atrás de López, Loeb, Michelisz, Tarquini e Monteiro. Yvan Muller seguia-o, em sétimo lugar.

No decorrer das 13 voltas, as distâncias entre os pilotos da frente foram aumentando inexoravelmente. Mesmo se Ma Qing Hua se aproximou de Monteiro mais para o final da corrida, as posições não se alteraram até à bandeirada de xadrez. Conquistando a sua sexta vitória da temporada, José María López fez o pleno de pontos, enquanto Sébastien Loeb ofereceu mais uma dobradinha à Citroën.

Após uma longa pausa, os carros regressaram à grelha de partida pelo final da tarde. Desta vez, Ma Qing Hua e Yvan Muller partilhavam a primeira linha. Autores de uma partida impecável, os dois colegas de equipa apropriaram-se da frente da corrida, enquanto mais atrás uma colisão eliminou Van Lagen e Monteiro. O safety car deu entrada na pista, para que os comissários pudessem retirar os carros acidentados.

No reatar da corrida, Ma manteve o comando, diante de Muller, Catsburg, Tarquini, Michelisz, Loeb e López. Enquanto os dois Citroën se destacavam lá na frente, o grupo perseguidor estava animado, apesar da falta de lugares para ultrapassar neste circuito.

À décima volta, Catsburg cometeu um erro, o que permitiu a Michelisz e depois Loeb de ficarem ao seu nível. Mas os três carros tocaram-se na travagem e Loeb e Seb terminou a sua corrida no muro de pneus! A corrida continuou assim sem o nónuplo Campeão do Mundo de Ralis, que perdeu desta forma pontos preciosos.

Duas curvas depois foi Catsburg quem saiu violentamente de pista. Com o seu carro imobilizado em plena trajectória, os comissários interromperam a corrida, mostrando a bandeira vermelha. Isso não alterou em nada a alegria de Ma Qing Hua, que conquistou assim a sua primeira vitória no FIA WTCC desde Moscovo, em 2014. Segundo classificado, Yvan Muller permitiu à Citroën marcar o máximo de pontos no conjunto do fim-de-semana. Quanto a José María López, sentiu-se satisfeito em marcar os pontos correspondentes ao quinto lugar.

O QUE ELES DISSERAM…

Yves Matton (Director da Citroën Racing): «Terminámos esta longa primeira parte da temporada com todos os indicadores no verde: catorze vitórias em dezasseis corridas, os nossos quatro pilotos na frente do Campeonato do Mundo e um belo avanço para a Citroën na classificação dos Construtores. Estamos particularmente satisfeitos com a performance do Ma Qing Hua, que concretizou a sua subida de forma com uma vitória no FIA WTCC. Todos os nossos quatro pilotos já ganharam corridas este ano e, assim, podemos abordar o periplo asiático com toda a confiança.»

José María López: «Mesmo se isso até pode parecer fácil visto de fora, fazer treze voltas nesta pista representa um verdadeiro desafio. Existia uma completa incógnita na partida, pois não sabíamos como o carro iria reagir naquela parte do circuito. Finalmente, tudo correu bem e pude ganhar vantagem sobre o Seb. Estava com um bom ritmo e consegui afastar-me bastante depressa. Em seguida, era preciso gerir o calor e preservar o meu Citroën C-Elysée WTCC. Sentia que a mecânica sofria com as bossas e nos limitadores da pista. Era preciso manter a concentração até ao fim. Fiquei muito feliz por ter ganho numa pista assim tão exigente! A Corrida 2 foi caótica, mas consegui passar pelos acidentes para subir da décima à quinta posição. Com 55 pontos de vantagem e quatro jornadas para disputar, estou numa situação ideal!»

Sébastien Loeb: «O Pechito e eu fizemos um bom arranque na primeira partida. Foi um bocado complicado na primeira chicane, pois ambos cometemos o mesmo erro, sair demasiado largo. Tentei continuar em contacto, mas era um bocado difícil, por causa da aspiração, que provocava demasiada subviragem. A diferença aumentou, pois o Pechito estava um pouco mais rápido. Pela minha parte, consegui manter uma distância suficiente para o Michelisz, Fiz uma boa largada na segunda corrida, evitando a confusão à minha frente. A seguir, foi um bocado como brincar aos comboios e não podia tentar grande coisa. Numa curva, vi que o Catsburg estava quase parado. Ele voltou a partir, mas o Michelisz estava em posição de o passar pelo interior. Cheguei lá muito mais depressa e não fui capaz de travar para ficar atrás. A travagem foi em apoio e senti uma pancada na parte traseira do lado direito; o carro entrou em derrapagem e só parou nos pneus… O balanço no que diz respeito aos pontos não foi muito bom para o Campeonato. Estava aqui mais rápido que o Yvan, mas a performance pura não foi recompensada.»

Ma Qing Hua: «Quero agradecer especialmente à minha equipa de engenheiros e de mecânicos. Ao apostar na grelha invertida nas qualificações, o objectivo era claramente ganhar a segunda corrida. Tudo decorreu como planeado, com uma partida perfeita e um ritmo de corrida muito bom. Estive sempre concentrado, para não deixar o Yvan chegar perto. Mesmo se a prova terminou com uma bandeira vermelha, foi um grande momento, quando percebi que tinha ganho. E foi ainda mais forte quando ouvi o Hino Nacional chinês, no pódio. Sinto-me orgulhoso pelo meu país e pela Citroën e penso que esta nova vitória será benéfica para o desenvolvimento do desporto automóvel na China.»

Yvan Muller: «Após umas qualificações difíceis, não podia verdadeiramente esperar muito deste fim-de-semana. Mesmo assim, estou satisfeito por ter subido ao pódio. O Ma Qing Hua esteve muito rápido durante toda a prova, ele merece totalmente a sua vitória. Ainda tentei um ataque para o ameaçar, mas sem resultado. Mesmo se a situação no Campeonato do Mundo não evoluiu no bom sentido para mim, ainda não baixei os braços e irei atacar na segunda parte da temporada, com a firme intenção de me aproximar do Pechito!.»

CLASSIFICAÇÕES

CORRIDA 1

1º      José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

2º      Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)

3º        Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)

4º        Gabriele Tarquini (Honda Civic WTCC)

5º        Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC)

6º      Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)

7º      Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)

8º        Jaap van Lagen (Lada Vesta WTCC)

9º        Nick Catsburg (Lada Vesta WTCC)

10º      Rob Huff (Lada Vesta WTCC)

11º    Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

Melhor Volta: José María López, em 2m00,873s

CORRIDA 2

1º      Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)

2º      Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)

3º        Gabriele Tarquini (Honda Civic WTCC)

4º        Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)

5º      José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

6º        Nick Catsburg (Lada Vesta WTCC)

7º        Hugo Valente (Chevrolet RML Cruze TC1)

8º        Nestor Girolami (Honda Civic WTCC)

9º        Rob Huff (Lada Vesta WTCC)

10º    Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

Melhor Volta: Ma Qing Hua, em 2m01,994s


CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

1º      José María López  322 pts

2º      Yvan Muller         267 pts

3º      Sébastien Loeb     230 pts

4º      Ma Qing Hua       146 pts

5º        Norbert Michelisz      141 pts

6º        Gabriele Tarquini       138 pts

7º        Tiago Monteiro          124 pts

8º      Mehdi Bennani     40 pts


CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES

1º      Citroën               716 pts

2º        Honda                      487 pts

3º        Lada                        227 pts


Top