Esta página utiliza cookies. Durante a navegação na nossa página, aceita que utilizemos cookies.

Saiba mais sobre cookies
Fechar
Fechar
Fechar
JOSÉ MARÍA LÓPEZ CAMPEÃO DO MUNDO

JOSÉ MARÍA LÓPEZ MANTÉM O SEU TÍTULO DE CAMPEÃO DO MUNDO

  • Com a pole-position e a vitória na Corrida 1, José María López assegurou o segundo título de Campeão do Mundo FIA WTCC* com a equipa Citroën Total.
  • No pódio, o argentino viu-se acompanhado pelos seus colegas de equipa Sébastien Loeb e Ma Qing Hua
  • Na Corrida 2 o pódio viu-se repetido, mas com vitória de Loeb (herdando o triunfo depois de Tiago Monteiro ter sido desclassificado), à frente de Hua e López.
  • Os Citroën C-Elysée WTCC começaram bem o dia, com uma inédita quíntupla de melhores tempos, registada no final das Qualificações.
  • Após a conquista de ambos os títulos de Construtores e Pilotos, a Citroën mantém vivo o suspense: separados por cinco magros pontos, Sébastien Loeb e Yvan Muller irão disputar o lugar de delfim de López no Qatar.

Após um dia de Treinos Livres em que não se definiu nenhuma verdadeira hierarquia, os concorrentes tiveram que mostrar os seus trunfos durante as Qualificações. Colocando em prática os ensinamentos da véspera, os pilotos dos Citroën C-Elysée WTCC monopolizaram a caça à pole-position na Q3. Pela sexta vez esta temporada, José María López mostrou-se o mais rápido, ficando na frente de Sébastien Loeb, Yvan Muller, Ma Qing Hua e Mehdi Bennani. Uma inédita quíntupla de pilotos Citroën na frente de uma grelha de partida!

No final da manhã, as bancadas da tribuna principal do Chang International Circuit estavam a abarrotar no momento em que as viaturas alinharam para a grelha de partida. Com uma temperatura do ar de 33oC, para uma humidade de 60%, numa pista com 45oC de temperatura no asfalto, as condições climatéricas eram extremas.

Quando os semáforos se apagaram, José María López realizou um arranque perfeito, curvando na frente de Sébastien Loeb, enquanto Ma Qing Hua e Yvan Muller ficaram a lutar roda com roda. Todavia, Muller não foi muito mais longe, vendo-se abalroado por dois outros concorrentes, tendo que entrar nas boxes com um pneu desfeito. Mehdi Bennani aproveitou para assegurar o 3º lugar provisório.

Após a intervenção do safety car, Hua conseguiu levar a melhor sobre o marroquino, com o top 4 a não sofrer alterações até ao final da corrida. Apesar da constante ameaça de Loeb, López conquistou a nona vitória da temporada e marcou os pontos necessários para garantir o seu segundo título de Campeão do Mundo FIA WTCC*.

Mas as celebrações tiveram que ficar para mais tarde, pois havia ainda regressar à pista para disputar a segunda corrida. Uma vez mais, a partida foi caótica. Yvan Muller viu-se, de novo, obrigado a abandonar logo na primeira curva, em consequência de um toque de Hua. Michelisz completou a primeira volta no comando, à frente de Monteiro, Chilton, Loeb, Ma e López.

A corrida foi completamente louca, com múltiplas ultrapassagens. Loeb foi subindo progressivamente até ao 2º lugar. Aumentando o ritmo, estava a aproximar-se de Monteiro quando a corrida foi interrompida pela bandeira vermelha, por questões de segurança, à conta da crescente falta de visibilidade. Mais tarde, o vencedor da corrida seria desclassificado e Sébastien Loeb herdava o triunfo, na frente de Ma Qing Hua e José María López, que fizeram grandes ultrapassagens no meio do pelotão e com a Citroën Total a monopolizar, uma vez mais, o pódio, num final, desta feita, inesperado.

O QUE ELES DISSERAM…

Nota: as declarações abaixo foram proferidas antes da desclassificação do vencedor original da prova e subida ao 1º lugar de Sébastien Loeb.

Yves Matton (Director da Citroën Racing): «Depois de ter conquistado o Campeonato do Mundo de Construtores em Xangai, é uma enorme alegria ver José María López vencer um novo título de Pilotos. É a coroação de uma temporada plena de regularidade e de competitividade. Mesmo se não foi o acontecimento mais marcante da jornada, retenho particularmente o nosso quíntuplo resultado nas qualificações. É difícil fazer melhor, com cinco viaturas na frente à partida! Isso ilustra, em todo o caso, o nosso espírito de equipa que, em conjunto, nos permitiu evoluir. O resultado da segunda corrida, foi frustrante, pois sem a interrupção com bandeira vermelha, Sébastien Loeb teria podido ir à conquista da vitória.»

José María López: «Estou bastante satisfeito de ter já assegurado o meu segundo título de Campeão do Mundo. No ano passado, falamos sobretudo da primeira consagração de um argentino desde Juan Manuel Fangio. Mas este ano, penso primeiro na minha família, que sacrificou muitas coisas para que eu tivesse podido vir correr na Europa. Comecei a minha carreira há 23 anos e, após todas estas temporadas, a minha paixão continua a mesma e manter o título de Campeão do Mundo é um enorme prémio. Quero também agradecer à equipa Citroën Racing, que me deu esta hipótese e me deu carta branca para lutar contra colegas de equipa tão prestigiados. Este ano, verifiquei que o nível subiu um degrau suplementar. É, sem dúvida, por isso que a minha emoção é maior que a sentida em 2014. Quero saborear todos estes momentos!»

Sébastien Loeb: «Parabéns ao Pechito pelo seu novo título! É um prazer trabalhar com ele, temos vivido uma excelente atmosfera ao longo destes dois anos. Mas continua a ser muito difícil batê-lo. Com dois pódios, sinto-me satisfeito, apesar de ter sido um pouco frustrante. Sem a bandeira vermelha, teria sem dúvida podido atacar o Tiago e lutar com ele pela vitória. Fiquei agora muito próximo do Yvan no Campeonato, tudo é possível e irei para o Qatar para tentar terminar vice-Campeão do Mundo.»

Yvan Muller: «Felizmente que as Qualificações estavam programadas para o domingo de manhã, caso contrário pouco teria rodado nesse dia! O que posso dizer a não ser que me sinto desiludido por abandonar duas vezes após contactos logo nas primeiras curvas? O desporto é assim mesmo, mas de qualquer modo já não tinha muitas esperanças no campeonato. Parabéns ao José pelo seu título, ele que fez uma época perfeita.»

Ma Qing Hua: «Sinto-me feliz pelo Pechito, ele merece realmente este título. Foi sempre muito forte durante toda a temporada e estou muito satisfeito por estar a seu lado, pois aprendo muito com ele. Esta jornada foi difícil, com diferenças muito curtas. Trabalhámos bastante desde as qualificações e tive sorte suficiente em corrida para conquistar dois pódios. Isso permitiu-me defender o meu 4º lugar no Campeonato do Mundo, mas é preciso continuar a lutar até ao fim!»

RESULTADOS

QUALIFICAÇÕES

1.      José María López (Citroën C-Elysée WTCC)
2.      Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
3.      Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)
4.      Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)
5.      Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

CORRIDA 1

1.      José María López (Citroën C-Elysée WTCC)
2.      Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
3.      Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)
4.      Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

5.         Gabriele Tarquini (Honda Civic WTCC)

VMR: Sébastien Loeb, em 1m39,577s

CORRIDA 2

1.      Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
2.      Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)
3.      José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

4.         Tom Chilton (Chevrolet RML Cruze TC1)
5.         Gabriele Tarquini (Honda Civic WTCC) (…)
7.      Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

VMR: Gabriele Tarquini, em 1m39,275s

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

1.      José María López 441 pts
2.      Yvan Muller 329 pts
3.      Sébastien Loeb 324 pts
4.      Ma Qing Hua 213 pts

5.         Gabriele Tarquini 191 pts (…)

CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES

1.      Citroën 974 pts
2.         Honda 664 pts
3.         Lada 337 pts

* Sujeito à publicação oficial dos resultados pela FIA.

Top