Fechar
Fechar
Fechar
CITROEN RACING - C3 WRC_Suécia.jpg

DESPORTOS DE INVERNO PARA OS CITROËN C3 WRC

Naquela que será a 2ª prova da temporada, os concorrentes do Campeonato do Mundo FIA de Ralis irão disputar a única prova 100% de Inverno do ano. Será nas estradas geladas do Rali da Suécia que as duplas Kris Meeke / Paul Nagle e Craig Breen / Scott Martin estarão encarregues de fazer deslizar os seus Citroën C3 WRC.

RALI DA SUÉCIA: SEMPRE A ESCORREGAR

Presente no calendário do Campeonato do Mundo, desde o seu início em 1973, o Rali da Suécia está entre as provas incontornáveis da temporada. Mesmo quando o mercúrio atinge cerca de -30 °C – algo que não deverá ser o caso na edição deste ano… – são sempre muitos os espectadores presentes ao longo das estradas, para ver passar os acrobatas do volante. Escorregando a toda a velocidade, os WRC tocam nos muros da neve, num show de condução inesquecível! Segundo os pilotos, a aderência permitida pelos pneus de pregos proporciona sensações únicas...

A edição de 2017 inclui muitas novidades, com um Parque de Assistência agora localizado no Aeroporto de Torsby. Esta configuração permitiu renovar mais da metade do percurso, pelo que os concorrentes irão descobrir secções inéditas. Após a tradicional SuperEspecial, a disputar na noite de quinta-feira, no Hipódromo de Karlstad, a rota da Etapa de sexta-feira segue para a Noruega, sendo de destacar a especial de Rojden, a única da temporada a desdobrar-se pelos dois países! Já no sábado, o destaque será obviamente Vargasen, com o seu concurso de salto em distância no Colin’s Crest. O rali termina no domingo à tarde, com a Power Stage de Torsby.

OS DESAFIOS: O INÍCIO DE UMA NOVA ERA PARA O WRC

Recheado de muitas voltas e reviravoltas, o Rali de Monte Carlo confirmou a homogeneidade do plantel de 2017 e a espectacularidade da nova geração de World Rally Cars. Já para a Citroën Total Abu Dhabi WRT esse primeiro encontro do ano não esteve à altura das suas ambições, seguindo-se apenas duas semanas para analisar as razões deste resultado e de afinar agulhas em preparação para a Suécia.

Após uma primeira sessão de testes no início de Janeiro, a equipa continuou no passado fim-de-semana com o previsto processo de desenvolvimento do Citroën C3 WRC, fazendo-o tão próximo quanto possível da data da prova. Nesta prova serão, de novo, dois os carros incritos no Campeonato do Mundo de Construtores. Ao lado de Kris Meeke e Paul Nagle, a dupla constituída por Craig Breen e Scott Martin irá fazer a sua estreia no C3 de competição. Já Stéphane Lefebvre e Gabin Moreau irão evoluir num carro da geração anterior.

Um ano após ter estado ao nível dos melhores nesta prova, Kris Meeke tem a vitória como objetivo. Quanto a Craig Breen, ele que foi 8º na edição de 2016, no seu primeiro rali ao volante de um WRC da Citroen Racing, também irá procurar um bom resultado, naquele que é um dos seus terrenos favoritos.

O RALI DA SUÉCIA 2017 EM NÚMEROS

18 Especiais, totalizando 331,74 km cronometrados
57,8% das Especiais são novas face à edição de 2016
45 metros, é o recorde do salto mais longo no Colin’s Crest, tendo sido alcançado por Eyvind Brynildsen em 2016
384 pregos por pneu Michelin X-Ice North 3; são necessários 45 minutos por processo de colocação
113,44 km/h de média para o vencedor do Rali da Suécia 2016, abaixo dos 114,84 km/h de média alcançados pelo Citroën Xsara WRC de Sébastien Loeb na edição de 2004.

FLASHBACK: O RALI DA SUÉCIA 2004

Naquela que foi a sua primeira temporada completa no WRC, a Citroën reuniu um dream team composto por Carlos Sainz, Colin McRae e Sébastien Loeb. Tendo ficado a um passo da vitória no ano anterior, o jovem francês terminou a 1ª Etapa da edição de 2004 no comando, no seguimento de uma saída de estrada de Marcus Grönholm, na frente de McRae e de Sainz. Os três Citroën Xsara WRC desfrutaram de uma prova isenta de problemas que os levou a cortar a meta por esta ordem. O espetacular trio assinalava, assim, o início de uma impressionante epopeia da denominada Armada Vermelha!

Top