[cle1: REDIRECTION_DANS Lang:PT] [cle1: SECONDES Lang:PT]
Fechar
Fechar
Fechar
Andreas Mikkelsen

CITROËN ALCANÇOU OS SEUS OBJETIVOS NA ALEMANHA

Um lugar no pódio final para Andreas Mikklsen/Anders Jæger e um segundo C3 WRC entre os cinco primeiros graças ao empenho de Craig Breen/Scott Martin: na Alemanha, a Citroën Total Abu Dhabi WRT alcançou os objetivos delineados por Yves Matton antes da partida.

O RALI EM RESUMO

O Rali da Alemanha arrancou ao fim da tarde de quinta-feira com uma Super Especial disputada nas ruas de Saarbruckën. Num trajeto pouco apropriado para a largura dos carros do WRC, Kris Meeke foi a maior “baixa” da noite. O piloto da Irlanda do Norte foi forçado a parar após bater num muro de cimento e danificar a direção. Meeke conseguiu alinhar no dia seguinte em Rali2, mas com uma penalização de 10 minutos.

A Etapa de abertura de sexta-feira foi maioritariamente disputada em estradas acidentadas e sinuosas ao longo dos vinhedos de Mosel. Apesar de posicinado bem para trás na ordem de partida, Andreas Mikkelsen juntou-se imediatamente no grupo que disputava a liderança. O norueguês Craig Breen consegiu mesmo o melhor tempo na ES4, o que o colocou no comando do rali.

Os chuveiros dispersos que caíram durante a manhã transformaram-se em chuva forte quando as equipavas estavam já a enfrentar as segundas passagens pelas Especiais. Apesar de utilizar os pneus Michelin Pilot Sport Full Weather, Andreas Mikkelsen não conseguiu resistir aos ataques de Tänak, que passou para o primeiro lugar após a ES7. No final do dia, os dois primeiros classificados estavam separados por apenas 7,5s.

Esforçando-se para se sentir confiante num rali com qual está pouco familiarizado, Craig Breen efetou alguns pequenos erros durante o rali. No final da Etapa de abertura, o irlandês esteava em sétimo lugar, atrás de Neuville, Ogier, Evans e Hänninen.

No Sábado, as equipas cumpriram as Especiais delineadas na base militar de Baumholder. Na primeira passagem pela famosa Especial de Panzerplatte, Mikkelsen perdeu terreno para Tänak devido a uma escolha de pneus demasiado conservadora. De seguida, Andreas cometeu alguns pequenos erros que permitiram a Sébastien Ogier aproximar-se e diminuir a vantagem do jovem norueguês!

Depois disto, o piloto do C3 WRC deu o seu máximo na segunda passagem por Panzerplatte, rubricando o segundo melhor tempo e, desse modo, manter a pressão sobre Tänak e distanciar-se um pouco mais de Ogier...

Na sexta-feira, as coisa correram melhor a Craig Breen, principalmente na segunda passagem, em que contou com uma escolha de pneus mais consistente. Devido a uma série de incidentes de prova, Breen chegou ao sexto lugar, a menos de 20 segundos de Evans e Hänninen.

Em contrapartida, as coisas complicaram-se para Kris Meek, que terminou a sua particiapão no rali após a ES14. Numa altura em que começava a aproximar-se do andamento dos pilotos da frente, o britânico foi obrigado a abandonar devido a um problema mecânico nos acessórios do motor.

No domingo, havia apenas quatro curtas Especiais para determinar as posições finais. Sempre a dar o seu máximo, Mikkelsen afastou-se definitavamente de Ogier... e aproximou-se ligeiramente mais de Tänak. Porém, não houve mais alterações na classificação até final do rali, o que significou que o C3 WRC nº9 tinha garantido o segundo lugar.

Entretanto, Craig Breen protagonizou um forte ataque final, aproximando-se rapidamente de Elfyn Evans.Na Power Stage, Breen consegui passar à frente do seu rival e, assim, aumentar a sua coleção de quintos lugares!

Top