BIOCOMBUSTÍVEIS
Caro(a) internauta,

A versão do seu programa de navegação internet pode não lhe permitir desfrutar de todos os serviços disponíveis no site www.citroen.pt

Para garantir uma navegação completa, mais fácil e mais rápida do site sugerimos a actualização do seu programa de navegação.

Desta forma propomos a realização do download em segurança de um destes 3 programas através dos links disponibilizados:

O BIODIESEL E O BIOETANOL

A Citroën oferece motores capazes de funcionar com biocombustíveis: biodiesel para os motores diesel HDi e bioetanol para motores a gasolina.

O biodiesel e o bioetanol contribuem para o controle do aquecimento global, reduzindo a taxa de emissão de CO2 dos veículos (o principal gás com efeito de estufa). Com a ausência de chumbo e de baixo teor de enxofre na sua composição, os biocombustíveis limitam as emissões poluentes. Através de mistura com combustíveis convencionais, obtemos uma melhoria de combustão em relação ao teor de oxigénio. E por consequência as emissões de partículas, monóxido de carbono e poluentes são reduzidas.

Biodiesel

O biodiesel é uma mistura de diesel e óleo vegetal produzido a partir de plantas como, girassol, mamona, soja ou óleo de palma. Este óleo é transformado quimicamente em EMHV (ésteres metílicos de óleo vegetal) que depois é misturado com o diesel. O regulamento da UE permite a incorporação de FAME até 5% em volume de óleo diesel.
O uso do biodiesel B30 reduz as emissões de CO2 em 18% as emissões de partículas em 22%.

Bioetanol

O bioetanol é uma mistura de gasolina e etanol, um álcool produzido através da fermentação do açúcar (de beterraba ou de cana) ou do amido de cereais (trigo, milho ...). A Citroën desenvolve motores a gasolina com capacidade de utilizar o combustível que incorpore até 10% de etanol (combustível E10). O uso de combustível E10 reduz as emissões de CO2 (well-to-wheel) de cerca de 6%.

Em alguns mercados (Brasil, Suécia ...) são comercializados veículos com a tecnologia FlexFuel, que pode funcionar com a proporção de etanol até 85%.

Reconhecendo os problemas de arbitragem entre as culturas alimentares e as culturas energéticas, a Citroën é um observador atento aos projectos sobre biocombustíveis de segunda geração, ainda na fase de investigação (recuperação de toda a instalação, utilização da biomassa, das algas ...). O nosso objectivo é assegurar a compatibilidade dos nossos motores com combustíveis alternativos, desde o momento da passagem a produção industrial previsto para 2020-2030.

Para ver correctamente o site
Citroën
DOWNLOAD
FLASH PLAYER
e ter activa a opção Javascript no seu navegador internet.